A endocardite bacteriana é uma doença grave do coração que pode levar à morte. Estudos mostram que a doença provoca a morte de 25% dos pacientes e leva outros  35% a intervenções cardíacas de alta complexidade.

Em muitos casos, a endocardite bacteriana tem origem na boca, com a gengivite,  periodontite e lesão periapical (lesão no ápice do dente). A dentista Regina Yabu Pavanello, da Clínica Odontológica Vital, explica as doenças orais e como podem evoluir para complicações cardíacas.

Gengivite e periodontite devem ser tratadas

“A gengivite é caracterizada como início de uma inflamação gengival. Ela provoca halitose (mau hálito) vermelhidão, inchaço, sangramento e excessiva e sensibilidade das gengivas. Se não for devidamente cuidada, pode evoluir para periodontite e, nesse caso, a inflamação atinge os tecidos que envolvem os dentes (o periodonto) e compromete a sua sustentação, podendo provocar perdas dentárias”, explica a dentista. “Já atendi pacientes na clínica com grau tão avançado de periodontite, que os dentes saiam facilmente”, complementa.

O que provoca essa inflamação da gengiva é uma placa bacteriana que se desenvolve nos sulco gengival (um pequeno espaço entre os dentes e a gengiva) quando a higiene bucal não é realizada de forma adequada e necessária. “A escovação correta e o uso diário do fio dental são indispensáveis para higienização bucal adequada”, adverte a especialista.

Bactéria na corrente sanguínea

Na periodontite, a bactéria fica alojada no periodonto (tecido que envolve a raiz infectada) e na lesão periapical, no ápice do dente. Nos dois casos, a bactéria pode cair na corrente sanguínea e chegar ao coração, provocando a inflamação do endocárdio – uma membrana presentes nas válvulas cardíacas responsáveis por dar a direção do fluxo do sangue na parte interna do coração. “A bactéria pode cair ou não, mas o risco existe e o melhor remédio é e prevenção.”

Quando o endocárdio é acometido por bactérias e inflama, o funcionamento das válvulas fica comprometido.

Veja abaixo os sintomas da endocardite bacteriana:

  • Febre e calafrios
  • Sopro no coração
  • Fadiga
  • Dor nos músculos e articulações
  • Sudorese noturna
  • Respiração curta
  • Palidez
  • Tosse persistente
  • Perda de peso não-intencional
  • Sangue ou outras alterações na urina
  • Suor nos pés, pernas e abdômen
  • Nódulos de Osler –  pontos vermelhos doloridos em baixo da pele dos dedos
  • Petéquias – pequenas manchas roxas ou vermelhas na pele, ou manchas brancas nos olhos e/ou dentro da boca.

A endocardite é mais comum em pacientes com quadro de complicações cardíacas, como próteses cardíacas, marcapasso ou estreitamento da aorta. Entretanto, 20% dos casos são observados em pacientes sem histórico de cardiopatia, mas com problemas de infecção oral.

Cardiologistas afirmam que a bactéria causadora fica localizada na região da boca e orofaringe, por isso, a higiene bucal e a prevenção de infecções bucais. Para isso, eles contam com os dentista, uma vez que são eles os especialista capazes de orientar prevenir e tratar doenças bucais e evitar o aparecimento e evolução para endocardite bacteriana.