Procedimento que devolve a auto estima e ajuda a curar

O preenchimento labial é um procedimento simples, que pode ser realizado no consultório odontológico e tem devolvido autoestima a muitos homens e mulheres de todas as idades. Isso porque:

  • Corrige a desproporcionalidade entre os lábios inferior e superior,  sendo indicado para quem tem um ou os dois lábios muito finos;
  • devolve o contorno e/ou volume labial;
  • elimina a linhas no seu entorno formadas pelas rugas periorais (o famoso código de barras) – condição provocada pelo processo de envelhecimento;
  • preenche as comissuras orais localizadas nos cantos da boca – o envelhecimento provoca a queda da comissura e o surgimento de um sulco que segue em direção para baixo;
  • reforça o Arco do Cupido: fazendo com que o V do lábio superior fique mais acentuado;
  • reforça Pilares Filtrais direito e esquerdo, dando mais curva ao lábio superior.

O preenchimento labial também pode ajudar na solução de problemas crônicos:

  • Selamento ou vedamento labial –  a falta de vedamento labial pode levar a alteração dos músculos que ficam ao redor dos lábios e do queixo.
  • relaxamento do músculo orbicular – quando associado à Toxina Botulínica;
  • exposição adequada dos dentes e consequente lubrificação salivar, o que evita a desmineralização;
  • ressecamento da gengiva;
  • finalização de Orto, Lentes, Implantes.

Durabilidade do preenchimento labial

O preenchimento labial pode durar de seis meses a 1 ano, que é a durabilidade do ácido hialurônico. A aplicação continuada para manutenção pode induzir a formação do colágeno da paciente, melhorando muito a hidratação e a sustentação da pele, explica a dentista Regina Yabu Pavanello, especialista em estética facial e harmonização do sorriso.

Estudar o paciente

Para verificação dos pontos onde o ácido hialurônico deve ser aplicado e a quantidade adequada, é necessário que o profissional faça um estudo criterioso da região da boca. “Um estudo apenas técnico não é suficiente. Devemos perceber o paciente como um todo, desde patologias, disfunções e hábitos que podem comprometer os lábios e toda a estrutura muscular que os envolve”, diz a dentista.

“Conseguimos isso observando os lábios em movimento (quando o paciente fala e sorri) e em repouso”, diz a especialista ao enfatizar que só a partir desse estudo pode ser decidida a técnica que vai proporcionar a harmonia da boca e do sorriso, que é o que o paciente busca. “Há casos de pacientes que precisam de volume e é indicada a aplicação dentro da boca para projetar o lábio”, finaliza.

O procedimento não deve ser feito em pacientes com doenças autoimunes, casos de lesões no lábio ou em cavidade oral, herpes ativo de lábios, gestantes ou em pessoas alérgicas ao ácido hialurônico.