No Brasil é grande o número de pessoas que não têm nenhum dente. De acordo com a PNS (Pesquisa Nacional de Saúde), realizada pelo IBGE, em 2015, são quase 23 milhões de pessoas, que precisam usar a prótese total (dentadura) superior, inferior ou as duas.

A maioria das pessoas que procuram o consultório odontológico com essa necessidade, queixam-se da prótese, principalmente da inferior, cuja estabilidade é ainda mais difícil.

Fixação da prótese sobre implantes

Para esses casos, é recomenda a prótese total sobre implantes. Ela parafusada sobre implantes distribuídos na mandíbula e/ou no maxilar, assegurando melhor mastigação e melhor saúde bucal.

A prótese total sobre implante não é retirada pelo paciente para higienização ou repouso. Apenas o dentista pode removê-la quando e se houver necessidade. E com ela, o paciente pode comer o que quiser.

A dentista Regina Yabu Pavanello, da clínica Vital Odontologia, explica que esse tipo de prótese devolve não apenas a função mastigatória, mas estética da boca e do sorriso, a qualidade de vida, a autoestima.

A dentista lembra, entretanto, que cada caso deve ser avaliado paro para verificação de viabilidade, mas ressalta que o protocolo sobre implantes é indicado cada vez mais.

Longenvidade e mudança de estilo de vida

Uma das razões para a grande procura pela prótese sobre implantes é a longevidade, que está em plena expansão em todo o mundo e também no Brasil. Em 1940, a expectativa de vida era de 43 anos; passou para 7,2 em 2008; e tudo indica que em 2050 viveremos até os 81 anos.

Isso significa que a população está mais madura e isso muda toda a conformidade social e econômica – há lugar no mercado de trabalho e nas relações sociais para pessoas maduras e elas continuam ativas profissional e socialmente.

Essas alterações geram mudanças de comportamento e de demanda. O mercado precisa se adaptar a esses consumidores para atender às suas necessidades. Por isso se intensificam os estudos e o avanço de tecnologias que buscam asseguram qualidade de vida. Afinal, não basta viver mais, não é mesmo? É preciso viver mais e melhor.